Criança abraçando o Geraldo, personagem que ajuda a desenvolver a inteligência socioemocional do programa LIV

5 tópicos para explicar o que é inteligência emocional

30 de abril de 2021

Se você não sabe o que é inteligência emocional ou se já ouviu falar, mas ainda tem dúvidas, esta lista é para você. Confira!

***

ÍNDICE:

  1. Inteligência emocional não é um conceito único ou imutável
  2. Buscar autoconhecimento faz parte da inteligência emocional
  3. Inteligência emocional é falar de sentimentos – de todos eles
  4. Inteligência emocional é também saber escutar
  5. Pensar criticamente exige inteligência emocional

***

  • Inteligência emocional não é um conceito único ou imutável

Em linhas gerais, descrevemos a inteligência emocional como a capacidade de identificar nossos próprios sentimentos e das outras pessoas, de nos motivarmos e gerirmos os impulsos dentro de nós e em nossos relacionamentos. 

Mas essa é apenas uma definição inicial, pois esse assunto é alvo de inúmeras pesquisas e análises nos campos da psicologia, educação, gestão, dentre outros. Por isso, sempre recomendamos àqueles que se interessam pesquisar em uma variedade de fontes e autores, pois isso permitirá um aprofundamento mais plural e completo. 

Para quem deseja saber sobre a inteligência emocional no contexto da educação, recomendamos começar com as playlists de entrevistas e eventos do LIV no YouTube

Lá você vai encontrar gravações com especialistas do programa e também convidados nacionais e internacionais que falam sobre inteligência emocional e outros temas que permeiam essa discussão.

Para ler, recomendamos outros dois artigos nos quais explicamos mais sobre o conceito de acordo com diferentes autores (clique aqui e aqui também).

  • Buscar autoconhecimento faz parte da inteligência emocional

Uma parte importantíssima do processo de desenvolvimento da inteligência emocional passa pelo autoconhecimento, ou seja, pela capacidade de cada indivíduo em se escutar e perceber suas emoções e sentimentos. 

Isso significa perceber necessidades, desejos e medos intrínsecos em cada situação, entendendo o que motiva cada ação tomada em diferentes campos da vida.

Importante frisar que autoconhecimento não deve ser visto como uma meta com começo, meio e fim, mas sim como um processo constante de percepção e reflexão. Isso significa estar sempre atento às mudanças internas e externas que nos afetam, procurando agir de maneira consciente e com intencionalidade.

  • Inteligência emocional é falar de sentimentos – de todos eles

Se alguém disser que a inteligência emocional é “a chave para a felicidade”, desconfie. Quando falamos em identificar e compreender nossos próprios sentimentos, falamos de todos eles, seja amor, raiva, medo, alegria, tristeza ou qualquer outro.

Isso significa compreender que não existe sentimento “bom” ou sentimento “ruim”. Todos são comuns entre os seres humanos e fazem parte de nossas vidas. A proposta de desenvolver a inteligência emocional passa pelo entendimento do que fazer com esses sentimentos em nossas vidas.

Um dos principais responsáveis pela divulgação do conceito, o autor americano Daniel Goleman, defende que a inteligência emocional pode ser aprendida e desenvolvida, e isso depende de um exercício cotidiano ao longo do tempo. 

Para ele, esse aprendizado envolve quatro pilares principais: autoconhecimento, autorregulação, empatia e habilidades sociais (ou habilidades de relacionamento). No caso do autoconhecimento, especificamente, a ideia é assimilar cada sentimento e refletir sobre seus impactos na vida pessoal e coletiva, cuidando das emoções de forma que não sejam prejudiciais para as pessoas ou para a situação. 

  • Inteligência emocional é também saber escutar

Quando falamos sobre escutar, nos referimos à escuta ativa, um conceito que passa diretamente pela empatia, que, por sua vez, é um dos pilares da inteligência emocional. 

Em um contexto geral, podemos descrever a empatia como a capacidade de reconhecer, sentir e responder às necessidades e aos sofrimentos de outras pessoas, motivando a resolução pacífica de conflitos e aceitação das diferenças.

Quando falamos disso no contexto educacional, significa, por exemplo, apoiar e encorajar os alunos em seus objetivos, ouvir o que eles têm a dizer, ter expectativas elevadas em relação a eles, mostrar interesse como indivíduos e fornecer diferentes perspectivas para a resolução de problemas, dentre outras atitudes.

  • Pensar criticamente exige inteligência emocional

No cenário contemporâneo, somos convidados constantemente a ter pensamento crítico sobre situações que afetam ou não nosso cotidiano. E isso, sem dúvida, exige muita inteligência emocional, pois pensar criticamente é uma das maneiras de gerirmos os impulsos dentro de nós e em nossos relacionamentos. 

No programa LIV, a habilidade de pensamento crítico é estimulada em todas as aulas, especialmente nos anos finais do ensino fundamental. Assim, essa prática pode tornar-se uma constante na vida das crianças e dos jovens, uma vez que eles são impulsionados a exercerem atitudes e hábitos diante do conteúdo que consomem. 

Um exemplo de como isso acontece na prática é uma atividade para alunos do 8º ano do Ensino Fundamental sobre fake news (ou notícias falsas, em português), na qual eles podem desenvolver o pensamento crítico ao aprender sobre a maneira mais adequada de descobrir se um conteúdo é digno de confiança ou se é apenas “fake”.

***

Esperamos que esses esclarecimentos iniciais ajudem na compreensão do debate em torno da inteligência emocional. Para quem deseja saber mais, sugerimos as seguintes publicações:

***

O LIV – Laboratório Inteligência de Vida é um programa de educação socioemocional presente em mais de 350 escolas em todo o Brasil, criando espaços de fala e escuta para ampliar a compreensão de si, dos outros e do mundo.

Assine nossa news

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários
Rafa

Descubra porque você ainda não alcançou o SUCESSO e comece agora a CRIAR A VIDA DOS SEUS SONHOS Vamos te dar passo a passo! Saiba mais Acesse:http://mon.net.br/1gq1z4

Alayde Gazetta

Procuro esclarecimentos para uma situação de rompimento entre meus filhos e estou pesquisando sobre diversos assuntos para abordar o assunto com eles principalmente 1 deles. Pesquisei sobre Ego, Superação otica sobre a vida e agora inteligência emocional, cada um me trouxe conhecimentos entretanto a uma couraça que ao permite que ele entenda . Alem di rompimento com a irma, a repetição do que ele sente muitas vezes pra.mim e dolorosa Agradeco os ensinamentos sobre a questao