Seis habilidades que podem impactar sua vida social e emocional

2 de março de 2020

Todo início de ano, é comum algumas pessoas dedicarem um pouco de seu tempo para pensar no que desejam para os próximos meses. Contudo, não é só nessa época que podemos planejar melhorias em nossa vida e nos organizar melhor: desenvolvimento pessoal precisa ser algo constante.

Acontece, porém, que muitas vezes restringimos esse desenvolvimento a objetivos pontuais, como economizar dinheiro, ler mais livros etc., sem focar em aspectos internos que podem impactar a vida no longo prazo. Por isso, fazemos um convite: que tal abrir espaço na rotina para refletir sobre sua inteligência emocional e as habilidades socioemocionais que poderão oferecer benefícios para diferentes setores da sua vida?

Nossa sugestão é começar com seis habilidades específicas – criatividade, comunicação, colaboração, pensamento crítico, perseverança e proatividade –, embora a lista possa ser ampliada como você desejar. Para quem já conhece o programa Laboratório Inteligência de Vida (LIV), essas habilidades não são novidade. Elas são incentivadas em todas as aulas de LIV realizadas nas escolas parceiras, especialmente no Ensino Fundamental, quando são aprofundadas (para saber mais, clique aqui).

Nossa ideia é que elas entrem também no seu dia a dia, permitindo que você reflita mais sobre si próprio e sobre os outros a sua volta. É importante frisar que essas habilidades não devem ser encaradas como metas ou objetivos a cumprir, como se fossem parte de uma lista de tarefas, mas sim como parte do crescimento pessoal de cada um. A seguir, você vai conhecer um pouco mais sobre cada uma e descobrir por que elas merecem destaque:

  • Criatividade

A criatividade não pode ser vista apenas como um pré-requisito para atividades relacionadas às artes. Ela vem sendo cada vez mais demandada por todos os setores produtivos e, além disso, tornou-se o principal artifício humano para superar os desafios de nosso século, tanto os relacionados à economia quanto ao meio ambiente, política e educação.

De acordo com uma pesquisa feita pela rede social LinkedIn, ter habilidades socioemocionais é, atualmente, um grande diferencial para quem está competindo no mercado. Segundo os dados do levantamento, que analisou as vagas lançadas em 2018, 57% dos líderes seniores dizem que as chamadas soft skills (também conhecidas como habilidades socioemocionais) são mais importantes que as hard skills (competências técnicas). A criatividade ficou no topo dessa lista!

  • Comunicação

Comunicar-se bem é importante em todas as esferas, afinal, um erro de comunicação pode atrapalhar os estudos, o trabalho e também a vida pessoal. Em casa, por exemplo, a boa comunicação pode oferecer inúmeros benefícios para as famílias. É o que mostra um estudo de um grupo de pesquisadores da Universidade Harvard e do MIT, dois centros de pesquisa de ponta nos Estados Unidos.

Segundo a pesquisa, quando os adultos conversam com uma criança ou um adolescente com intencionalidade e abertura, eles são mais capazes de beneficiar seus cérebros do que outros tipos de estímulos. A pesquisa mostrou ainda que a parte do cérebro envolvida na produção da fala e no processamento da linguagem pode ficar mais ativa quando as crianças interagem verbalmente com os adultos, e não apenas quando escutam ordens ou instruções cotidianas.

Outro aspecto positivo é que o exercício da comunicação também pode ajudar as pessoas a falarem mais sobre seus sentimentos e se abrirem para desenvolver mais sua inteligência emocional. Vale lembrar, contudo, que extroversão não é pré-requisito para que a comunicação aconteça. Uma pessoa que se considera tímida e introvertida, por exemplo, pode exercitar a habilidade da boa comunicação sem deixar de lado suas características.

  • Colaboração

Você consegue colaborar com outras pessoas para realizar projetos? Assim como a criatividade, a capacidade de trabalhar em grupo tem sido apontada como uma das principais habilidades para o mercado de trabalho. Mas não é só no ambiente profissional que a colaboração é essencial. Para tirar os projetos do papel, sejam os nossos ou de outras pessoas, precisamos desenvolver essa prática no dia a dia.

Então, que tal parar para observar de que maneira você pode usar mais a colaboração ao longo deste ano? Quem sabe você não decide se engajar em um projeto comunitário, colaborando com colegas e vizinhos para um bem comum, ou colaborar com um amigo ou um familiar para a realização de um sonho.

  • Pensamento crítico 

Ter pensamento crítico é ponderar sobre os fatos antes de falar algo ou tomar uma decisão, investigar as fontes, questionar as informações e buscar as diferentes perspectivas, antes de formular uma opinião. Em tempos em que o compartilhamento de fake news se espalha por nossas redes de contatos, pensar criticamente sobre as informações que nos chegam é um exercício cotidiano. Pessoas que praticam essa habilidade tornam-se mais abertas a novidades e ideias diferentes, além de serem racionais, razoáveis e colaborativas. É também por meio do pensamento crítico que podemos aprender a conviver com a diversidade humana e atuar mais em colaboração com outros – algo que devemos prezar em nossa sociedade.

  • Proatividade

Essa habilidade deveria estar no início, visto que é por meio da proatividade que damos início às nossas resoluções, mas deixamos um pouco mais para o final para lembrar que projetar os objetivos do próximo ciclo é apenas a primeira parte para realizá-los. A segunda parte consiste em colocar a mão na massa – e para isso a proatividade é essencial. Seja qual for sua meta para este 2020, sugerimos que você tenha proatividade para iniciá-la e para buscar ajuda sempre que precisar.

  • Perseverança

Para completar nossa seleção, trazemos a habilidade mais importante para manter o foco ao longo do ano: a perseverança. Em janeiro e fevereiro, somos constantemente incentivados a nos sentir mais bem-dispostos e empolgados, porém, com o passar dos meses e as dificuldades encontradas, vamos deixando de lado objetivos importantes para nós, o que pode nos levar a um sentimento de frustração. Por isso perseverar é necessário. Além de nos ajudar a prosseguir, o exercício da perseverança consiste ainda em saber até quando é necessário tentar e quando é preciso mudar de direção, visto que desistir não pode ser considerado uma fraqueza, mas sim uma escolha que fez sentido para quem a tomou.

Gostaria de desenvolver essas habilidades na sua comunidade escolar? Seja uma escola parceira LIV!

Assine nossa news

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *