Como falar com as crianças sobre um tema delicado como o novo coronavírus?

23 de abril de 2020

Após a declaração de pandemia de Covid-19 pela OMS (Organização Mundial da Saúde),  nossa geração passou a enfrentar desafios que antes não faziam parte da nossa rotina.

Pensando nesta realidade: o que fazer e como podemos desenvolver um espaço de conversa com mais novos sobre um assunto tão importante?

Para tentar ajudar nessa questão, o LIV criou um infográfico, que você pode conhecer abaixo. Caso queira ler mais sobre o assunto, a publicação seguirá dando algumas outras indicações. Sinta-se à vontade para compartilhar esta publicação com outros pais!

Neste contexto, muitas escolas anteciparam 15 dias de férias, o que mantém as crianças em casa. Ainda para diminuir as chances de contágio, o governo fez um pedido a toda a população brasileira para que evitemos sair para as ruas. Nada de parques, praias ou shoppings. É um momento de mudança de hábitos.

A Conversa

Em situações de enfrentamento da realidade indesejável, como a epidemia do Coronavírus, o melhor caminho é a conversa, principalmente se houver algum familiar infectado. Mentir ou omitir a verdade para as crianças não é a melhor opção, pois isso não desenvolve um cenário de confiança mútua. As crianças são afetadas por toda a realidade que estão envoltas.  Assim, é essencial que os responsáveis sejam um referencial seguro de escuta e acolhimento dos sentimentos das crianças. Nesse momento, a conversa pode ser a ferramenta mais valiosa para passarmos por esse período inesperado.

Procure estabelecer um diálogo com o vocabulário adequado para cada faixa etária. Seja franco. É um momento novo para todos nós, e é esperado que a “novidade” possa trazer medos (uma boa oportunidade de trabalhar os “medos” dos seus filhos e os nossos) e também aprendizados! Podemos ajudar as crianças a desenvolverem a identificação das suas emoções além da empatia e da responsabilidade coletiva.

Como começar o diálogo?

Primeiramente, recomendamos que os responsáveis estejam calmos, pois a criança sente isso. Uma boa opção é perguntar para a criança como se sentiu na última gripe que teve ou se ela lembra de quando algum amigo ou familiar ficou gripado. Como gripe é algo recorrente, há uma possibilidade de que ela lembre. Caso não, explique o que é uma gripe. Mas, se ela lembrar, podemos usar isso como início de conversa e complementar que o que está acontecendo no mundo e no Brasil é como uma gripe, só que bem mais forte! Por esta razão, algumas ações generalizadas são necessárias, como ficar em casa.

Aproveite também para explicar que as visitas aos avós, que fazem parte do grupo de risco, não são recomendadas, e é preciso explicar isso para os pequenos com muita tranquilidade. Desta forma, as crianças entenderão que é a melhor forma de cuidar deles. Seja sincero e aproveite para oferecer alternativas como as vídeo-chamadas.

Como ensinar sobre a proteção?

É muito importante ensinar para as crianças como se proteger, incentivando a lavagem das mãos de forma regular e a utilização do álcool gel. Para entreter, criem músicas, dancinhas, brinquem com os personagens dos desenhos, como o Tomás e o Geraldo do LIV! Usem a criatividade para que as crianças possam achar esse momento divertido – e vocês também! Afinal de contas, essa pode ser uma oportunidade para olhar um pouco mais para as crianças e voltar a brincar com elas, criando laços ainda mais fortes de identificação lúdica.  O afeto nesse momento é fundamental! A criança precisa se sentir segura, já que, mesmo em um momento de incerteza, os responsáveis são referência para eles.

Fique à vontade para compartilhar conosco sobre como tem sido esse momento na sua casa. Estamos nas redes sociais publicando informações e conteúdos diários relacionados a esse momento difícil.

Nosso instagram: @laboratoriointeligenciadevida

Seguimos juntos!

Leu este texto e quer saber mais sobre o LIV? Cadastre-se aqui para receber conteúdos exclusivos no seu e-mail.

Assine nossa news

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *