Férias: tempo de brincar, desconectar e descansar

30 de novembro de 2018

Caixa de sapato, avião, amarelinha, pega-pega, corda, pião. Hoje se somam Ipads, jogos eletrônicos, bonecas LOL. Brinquedos e brincadeiras sempre permearam o universo infantil em todas as épocas e culturas mais distintas. E por que será?  Porque o brincar é a linguagem universal da criança. Através de atividades lúdicas as crianças iniciam sua integração social, aprendendo não só a conviver com os outros, mas também a se situar no mundo adulto que as cercam.

Desde o nascimento as crianças brincam, sendo o seu próprio corpo o primeiro objeto de investimento nas suas brincadeiras. Num segundo momento, o corpo sai de cena e entra o faz de conta, como uma forma das crianças elaborarem situações vividas, que lhes foram excessivas. Usando sua criatividade elas são capazes de mudar o final de uma história que não foi fácil suportar, além de, sem culpa, descarregar nos objetos de suas brincadeiras sentimentos de angústia e agressividade provocadas por objetos reais.

As crianças se expressam e se realizam através de suas brincadeiras. Ao brincar, desenvolvem seu lado emocional e social, bem como muitas aptidões cognitivas. Suas brincadeiras são como nossas palavras. Mais do que um passatempo, o brincar é uma forma de comunicação, das crianças com seus pares, com adultos e, em última instância, uma forma de criação de cultura. Arrisco dizer que as crianças que podem brincar de forma livre e espontânea e no seu tempo serão melhores adultos, pois a brincadeira dá recursos para a vida: nos ajuda a buscar soluções criativas para contratempos e desafios, a socializar e trabalhar melhor em equipe, além de nos humanizar e nos reconectar com a natureza.

Se o brincar é tão importante para o exercício da espontaneidade e da imaginação, que tal, então, aproveitarmos as férias que se aproximam como um tempo e espaço para as crianças brincarem, livremente, fora de suas rotinas? Um desligamento das telas e um encontro com a natureza? Um momento de darmos folga às folguistas para estarmos mais próximos de nossos filhos? E, por fim, que tal trocarmos o passeio nos shoppings por mais visitas a museus e espaços públicos, ou até experimentarmos uma receita de bolo feita no calor da cozinha para receber amigos em casa?

Sem precisar de muitos artefatos, convido vocês ao exercício da brincadeira entre adultos e crianças, como uma forma de homenagem a essa atividade tão importante à infância e seu tempo. Podemos relembrar brincadeiras que estiveram presentes em nossa infância e compartilhar com nossos pequenos ou até convidá-los a nos mostrar outras desconhecidas por nós. Agora não podemos esquecer que as férias passam rápido, portanto, manter alguma rotina, nem que seja de sono e alimentação, pode ser importante na retomada às aulas. E, para os dias chuvosos, fica a dica de dois filmes sobre o tema: Tarja Branca ou Território do Brincar, ambos da produtora Maria Farinha Filmes e que podem ser encontrados no Netflix ou Now.

Divirtam-se e boas férias!

*  Texto de Lais Fontenelle, Psicóloga da Escola Eleva, parceira do LIV – Laboratório  Inteligência de Vida.

Assine nossa news

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *