Aprender é Sentir: confira tudo o que aconteceu no segundo dia do 3º Congresso LIV Virtual

Aprender é Sentir: confira tudo o que aconteceu no segundo dia do 3º Congresso LIV Virtual

31 de agosto de 2021

Com dez convidados entre nomes nacionais e internacionais, a programação ofereceu palestras, entrevistas e debates dentro de uma multiplicidade de temas. Saiba mais!

***

A busca por multiplicidade de pensamentos, que sempre esteve presente nos eventos internacionais do programa Laboratório Inteligência de Vida, também marcou o segundo dia do 3º Congresso LIV Virtual. Quem participou, pode acompanhar um total de seis atividades, entre palestras, entrevistas e workshops exclusivos para as escolas parceiras, que reuniram um total de dez convidados especiais, entre nomes nacionais e internacionais.

Transmitido gratuitamente pelo canal do programa LIV no YouTube, o evento proporcionou debates sobre temas como desenvolvimento socioemocional, mudanças curriculares, formação continuada, saúde mental dos professores, luto, vulnerabilidade e como as diferentes experiências afetam os relacionamentos dentro das comunidades escolares, dentre outros.

Considerado o maior evento sobre educação socioemocional da América Latina, o Congresso LIV já foi realizado em três edições presenciais. Durante a pandemia, inovou com versões virtuais, completamente gratuitas e com propostas abertas ao público. Nas duas edições de 2020 foram mais de 55 mil inscritos. A seguir, você pode ler mais sobre cada painel do segundo dia de evento:

Por dentro do LIV

Sentir é aprender: 3º congresso LIV Virtual - Por dentro do LIV

Embora o evento Congresso LIV já seja bastante conhecido entre as centenas de escolas parceiras do programa em diferentes partes do país, a migração para o cenário virtual trouxe a possibilidade de dialogar com milhares de pessoas ao mesmo tempo, um momento rico e raro de interação em torno de temas tão importantes.

Para apresentar mais detalhes de como o programa é elaborado e tirar dúvidas de educadores, a programação do segundo dia do 3º Congresso LIV Virtual começou com uma conversa entre Maria Cecília Brennand, gerente de relacionamento do LIV, e duas coordenadoras pedagógicas do programa: a psicóloga Renata Ishida e a pedagoga Paloma Bastos.

O bate-papo permeou pontos como o processo de criação do material didático, a integração com o Novo Ensino Médio e o projeto de vida proposto pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e a importância da formação continuada para a comunidade escolar.

Se a migração do evento para internet ampliou as possibilidades de diálogo entre escolas de todo o país, ela também trouxe a possibilidade de gravar e disponibilizar os eventos para quem não teve a oportunidade de acompanhar ao vivo ou deseja rever algum trecho. Aproveite e confira aqui o vídeo completo dessa atividade.

A saúde mental dos professores, com Gina Vieira

Em uma entrevista sensível e inspiradora, a psicóloga e coordenadora pedagógica do LIV, Roberta Desnos, conversou com Gina Vieira, professora da Educação Básica, mestre em linguística e idealizadora do premiado Projeto Mulheres Inspiradoras.

Conhecida entre educadores de todo o Brasil, Gina Vieira é engajada na promoção e manutenção da saúde mental dos profissionais da educação. De sua perspectiva como educadora, ela falou na entrevista sobre a saúde mental dos professores, especialmente daqueles que estão atuando nas escolas neste momento tão desafiador e ímpar da nossa sociedade.

“Eu tive ao longo da minha trajetória de vida alguns episódios de adoecimento mental, e um muito marcante ligado ao meu trabalho como professora […]. Esse tema me toca muito profundamente porque me mostrou que ser uma professora significa ser uma professora atenta a sua saúde mental, porque adoecido, ninguém vai ensinar bem”, contou no início de sua fala. 

Na conversa, Roberta e Gina também falaram sobre alta recorrência de adoecimento mental no contexto da pandemia e como isso reverberou nas salas de aula presenciais e virtuais, com dados que apontaram o surgimento mais recorrente de sentimentos como medo, ansiedade, preocupação ou opressão entre educadores, além de uma falta de apoio emocional adequado. 

“Aquele professor, aquela professora, profundamente comprometidos se viram fraturados para fazer seu trabalho nesse contexto”, destacou Gina em uma de suas falas, e completou: “E mesmo em um momento de profunda crise humana, um momento histórico, as pessoas ainda esquecem da necessidade do acolhimento”.

A entrevista também abordou temas como o mito do professor como herói, a necessidade de apoio emocional e formação docente para lidar com os próprios sentimentos e de seus estudantes, e sobre condições de trabalho, dentre outros temas. Assista à entrevista completa!

O lugar do luto e do acolhimento na escola, com Érika  Quintans

Como tratar os membros da comunidade escolar quando o retorno às aulas presenciais se dá em meio a um momento nacional de lutos e perdas? O acolhimento necessário diante de tais circunstâncias foi o tema da palestra de Érica Quintans, psicóloga clínica com mestrado focado em luto pela PUC-Rio, tema sobre o qual se dedica há mais de dez anos e sobre o qual falou durante o segundo dia do 3º Congresso LIV Virtual.

Na conversa, ela apontou as possibilidades de cuidado para um acolhimento que alcance não apenas os alunos, mas também professores e funcionários das escolas. “Existe um cálculo que mostra que para cada vítima da pandemia, há entre seis e dez pessoas enlutadas […]. São mais de 3 milhões de enlutados por Covid-19 hoje apenas no Brasil”, ponderou ao destacar a necessidade de observar esses casos dentro das comunidades escolares.

A psicóloga também comentou especificamente como o luto impacta as crianças e os adolescentes. “Esse cenário de perda traz medo, imprevisibilidade, desconfiança, inseguranças, que acontece diante de qualquer perda, ainda mais diante de uma pandemia que é uma emergência sanitária contínua”.

O afastamento das escolas e da maioria dos grupos de convívio presencial também foi mencionado por Érica como um dos agravantes da pandemia e que precisa de atenção, especialmente em uma fase na qual as escolas se adaptam para retomar plenamente as atividades presenciais. Para saber mais, assista à palestra completa no YouTube do LIV.

Potência da vulnerabilidade na educação, com Edu Valladares

A sensação de estar vulnerável é assustadora e disso ninguém duvida, mas será que não é possível aprender com momentos de vulnerabilidade pessoal? Será que ela impacta também o aprendizado na escola e ao longo da vida? Quem propôs esse questionamento foi Eduardo Valladares, professor e designer de experiências de aprendizagem, que deu continuidade à programação do 3º Congresso LIV Virtual em uma palestra exclusiva.

Com mais de duas décadas de experiência, Eduardo é idealizador da metodologia Guia do Estudo Perfeito, da plataforma Descomplica e mentor dos projetos educacionais Toti, Ensina Brasil e Iniciativa Jovem Shell. Também é autor do livro “Como Aprender Melhor” e realiza palestras, oficinas, mentorias e capacitação de professores por todo o Brasil, além de prestar assessoria para escolas sobre autonomia na educação. 

No evento, ele falou de maneira sobre a cultura da vergonha a qual somos submetidos desde a infância e da importância da vulnerabilidade pessoal na educação. “Vulnerabilidade é quando a gente entra em um espaço de incerteza, assume riscos e faz uma exposição emocional, todas essas coisas são atos de coragem, são formas de a gente se colocar no mundo e que dizem respeito justamente a enfrentar aquilo que nos dá medo”, destacou.

Quer saber mais? Confira aqui a apresentação completa de Eduardo Valladares.

Escola aberta para a inovação, com Jones Brandão

Como manter as equipes escolares abertas à inovação? Esse é um desafio enfrentado por muitas escolas parceiras do programa LIV, por isso, para o segundo dia do 3º Congresso LIV Virtual, o tema foi inserido na programação com uma palestra do Jones Brandão, diretor de educação da Agenda Edu, do grupo Eleva Educação. 

Em uma conversa com educadores de escolas parceiras LIV de diferentes regiões do país, ele falou sobre pontos essenciais quando o assunto é lidar com as equipes dentro do ambiente de trabalho e sobre como isso abrange os conceitos de tradição e de inovação:

“A gente tem uma ideia de que [tradição e inovação] são antagônicos e parece que a tradição é uma coisa que precisa ser superada o tempo todo, mas acredito que esses dois conceitos devem coexistir. Tradição tem a ver com credibilidade, com identidade, por onde perpassam os valores, a filosofia e a visão identitária como instituição de ensino […]. Já a inovação tem a ver com dar respostas diferentes às perguntas de sempre”, explicou.

Na apresentação, Jones contou com a participação de Caren Costa Fernandes, mantenedora da ENOM (MS); Julyana Freitas, diretora do Colégio Maple Bear (RN); e Adriano Araújo Freire, psicólogo do Petrônio Colégio e Curso (PB), que falaram um pouco sobre suas experiências na gestão de suas escolas. Clique aqui e confira o relato de cada convidado dessa atividade!

Palestra internacional com Jorge Larrosa

Sentir é aprender: 3º Congresso LIV Virtual. Palestra internacional com Jorge Larrosa

O encerramento da sequência de palestras e debates do 3º Congresso LIV Virtual ficou por conta de uma entrevista inspiradora com o educador e filósofo espanhol Jorge Larrosa e conduzida pela psicóloga e gerente pedagógica do LIV Joana London entrevista.

Larrosa é professor de Filosofia da Educação na Universidade de Barcelona, na Espanha, é doutor em Pedagogia e membro de conselhos de redação e comitês científicos de diversas revistas internacionais. Entre suas obras, destacam-se “La experiencia de la lectura: estudios sobre literatura y formación”; “Pedagogia profana”; “Linguagem e educação depois de Babel”, dentre outros que inspiram educadores em todo o mundo.

Larrosa também é um grande conhecedor e apreciador da cultura brasileira, tendo sido o primeiro tradutor do escritor Manoel de Barros para a língua espanhola. Ao LIV, falou sobre como a educação tem sido transformada nos anos recentes e sobre a necessidade de se pensar em uma escola mais pautada na experiência, e refletiu:

 “A educação não está nem para o indivíduo, nem para a sociedade, mas para o mundo, para a transmissão, a comunicação e a renovação do mundo. Freire diz: ninguém educa ninguém, ninguém educa a si mesmo, os homens educam-se entre si pela mediação do mundo”. 

Durante suas falas, ele também convidou os participantes a refletirem sobre como a experiência pessoal de cada indivíduo afeta a sua relação com a educação e destacou:

 “Podemos dizer que vivemos em uma sociedade cada vez mais escolarizada. Nunca antes, historicamente, tantas crianças e tantos jovens tiveram tempo para ir à escola. Eu acho que um dos maiores problemas que a escola está enfrentando neste momento é a falta de interesse das crianças e dos jovens. E, portanto, a tarefa do professor que sempre foi abrir o mundo, fazer o mundo interessante, é uma tarefa cada vez mais difícil”.

Além desses temas, Larrosa também falou sobre a paixão pelo ensino e sobre suas inspirações. E se você não conseguiu acompanhar esse encontro, não se preocupe. Acesse nosso canal no Youtube e assista à palestra completa!

*

Para saber como foi o primeiro dia da programação, baixe o nosso Kit do Congresso LIV Virtual e acesse: o conteúdo completo do congresso, entrevistas exclusivas com os palestrantes e um e-book inédito sobre saúde mental. Clique aqui! 

Assine nossa news

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *