Cena "Red: crescer é uma fera"

O que “Red: crescer é uma fera” ensina sobre as emoções?

12 de abril de 2022

Filme “Red: crescer é uma fera”, lançado em 2022, tem a ver com o LIV e vem ganhando a atenção por falar com leveza sobre os sentimentos. Saiba mais!

***

Quantas vezes na vida você já não tentou “controlar” uma emoção de raiva, de tristeza ou de medo? Quantas vezes negou o que sentia?  Culturalmente, fomos por anos ensinados a repelir algumas emoções e sentimentos considerados “ruins”, sem nos dar conta de que esse sentir, mesmo quando é desagradável, também pode fazer parte de nossos aprendizados.

Conversar sobre esses temas parece muito complexo, mas é por falar sobre eles de maneira delicada e, ao mesmo tempo, divertida que o filme de animação “Red: crescer é uma fera tem ganhado fãs desde seu lançamento, em 2022. 

Criação da Pixar, a trama (sem spoiler) conta a vida da pré-adolescente canadense Meilin Lee. Já no início, ela descobre ser descendente do chamado Panda Vermelho, um animal místico extinto que passou seus poderes para as mulheres de sua família por gerações. Como nem sempre esse Panda “controla suas emoções”, a “fera” precisou ser guardada e escondida por anos.

A seguir, você confere uma lista com alguns aprendizados do filme sobre emoções e sentimentos e que têm tudo a ver com o programa LIV – Laboratório Inteligência de Vida.

Cena do filme “Red: crescer é uma fera”

Fonte: https://disney.com.br

  • Emoções são para serem sentidas!

A animação aborda com leveza o amadurecimento que as meninas vivenciam nessa faixa etária e o imperativo de ter que deixar a “fera” de lado para ser uma “boa menina”. Também remete ao fato de que as meninas, mais do que os meninos, são culturalmente as maiores vítimas dessa pressão social para serem bem comportadas, o que implica sofrimentos diversos ao longo da vida.

“Quando a personagem principal conseguiu aceitar o seu ‘lado fera’, entendendo que as emoções são para serem sentidas, ela percebe que dá para fazer alguma coisa diferente que não machucar o outro ou a si mesma”, comenta Juliana Hampshire, psicóloga e coordenadora pedagógica do LIV – Laboratório Inteligência de Vida.

Ela explica também que, no programa, que aborda a inteligência socioemocional dentro das escolas, a ideia de “controlar” os sentimentos é desmistificada, uma vez que eles são intrínsecos a todos os humanos. “Não existe sentimento bom ou ruim, por isso, mais do que pensar em controlar ou evitar um sentimento, é importante entender o que pode ser feito com ele”, destaca.

  • Precisamos deixar a “fera” de lado?

Nessa mesma linha, a escritora Elisama Santos fez uma abordagem muito interessante em suas redes sociais sobre essa ideia de esconder os sentimentos, e usa a narrativa da personagem Meilin como plano de fundo:

 “A gente aprendeu que existem pessoas boas e más, e que as pessoas boas são sempre equilibradas, gentis, educadas. Pessoas boas não sentem raiva, não sentem inveja […]. A maioria de nós também aprendeu que somente as pessoas boas merecem amor, carinho e respeito. […] Acontece que a vida é mais complexa que isso, que somos mais complexos que isso. E quanto mais negamos faces nossas, menos aprendemos a lidar com elas. Amores, a gente só aprende a lidar com o que aceita que existe. Não dá pra passar uma vida negando quem se é. Não existe ninguém que sente só amor  […]”.

A opinião da autora Elisama Santos sobre o filme relembra que mencionamos mais acima no texto: que os sentimentos existem para todos e que compreendê-los é muito melhor do que tentar esconder ou fingir que certos sentimentos não existem.

Elisama-Santos-Filme Red

Fonte: www.instagram.com/elisamasantosc/

  • “Red: crescer é uma fera”: as relações com famílias e amigos 

Assim como outras animações recentes disponibilizadas no streaming da Disney+ (como “Encanto”, “Luca” e “Raya”), o filme “Red: crescer é uma fera” parte de dinâmicas familiares como ponto central. E diferentemente dos filmes infantis mais antigos, ele tem diálogos muito maduros que convidam não apenas as crianças, mas também os adultos a acompanhar a história. 

Dirigido por uma mulher, a chinesa Domee Shi, o filme “Red” traz nas entrelinhas uma reflexão interessante sobre a relação entre as mulheres da família da personagem, demonstrando medo, por um lado, e superproteção e cobranças excessivas, por outro. 

A história também trata das relações de amizade fora do núcleo familiar, do desenvolvimento do corpo e dos interesses pessoais, e do aumento das responsabilidades com a idade, temáticas ideais para inspirar conversas em família. 

“A vida toda eu fui a perfeitinha Mei Mei. Mas parece que eu gosto da minha nova versão”. – Meilin

Cena "Red: crescer é uma fera"

Fonte: https://disney.com.br

Um olhar para o desenvolvimento emocional na escola

Uma curiosidade interessante do filme “Red” é que sua diretora, Domee Shi, foi a ganhadora do Oscar de curta-metragem em 2019, com a animação “Bao”. Na Pixar, ela também fez parte da equipe de criação de outro filme de animação, o “Divertida Mente”, e que já indicamos em conteúdos anteriores do LIV

Não por coincidência, tanto “Red” quanto “Divertida Mente” são produções que tratam da descoberta e do amadurecimento de emoções e sentimentos que mencionamos no início do texto.

Por incentivarem o desenvolvimento da inteligência emocional de crianças e adolescentes, gostamos de indicar produções como essa. Durante todo o programa socioemocional do LIV, da Educação Infantil ao Ensino Médio, e estimulamos um espaço seguro de fala e escuta sobre sentimentos dentro das escolas. Entendendo que essa troca é fundamental para desenvolvermos o nosso autoconhecimento, nossas relações e nossas compreensões sobre o mundo. 

Contamos ainda com uma diversidade de materiais, dinâmicas e séries audiovisuais exclusivas do LIV que ajudam nessa abordagem de maneira lúdica.

Quer saber mais sobre como desenvolvemos esse pilar socioemocional nas escolas? Acesse o e-book Educação e Afeto nas Escolas: Histórias que acolhem e conheça depoimentos reais de educadores e instituições parceiras do LIV! 

Veja também:

***

O LIV – Laboratório Inteligência de Vida é o programa de educação socioemocional presente em escolas de todo o Brasil, criando espaços de fala e escuta para ampliar a compreensão de si, do outro e do mundo.

Assine nossa news

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários
taiana

Ainda não assistimos... mas já quero ver.

Josianne Zaco

A abordagem temática foi brilhante, em tempos em que as emoções estão latentes, precisamos dar espaço para o debate e o direcionamento assertivo, grata pela relevante contribuição. Abraços frateros!